quarta-feira, 4 de junho de 2014

Conhecendo os planos e corpos de existência






Antes de passarmos para a projeção astral em si, são necessários conhecimentos básicos que seria uma irresponsabilidade minha não ensinar a vocês agora. Todo o conceito que nós do ocidente temos sobre projeção astral ou viagem astral é fundamentado na sabedoria oriental, por isso a abordagem que eu vou aplicar aqui vai parecer um pouco destoante dos nossos posts habituais, mas é um conhecimento imprescindível não só para todo wiccano, mas para toda pessoa que deseja ter uma espiritualidade mais evoluída.

OS SETE PLANOS
O ser humano, os demais seres e tudo quanto existe são constituídos de uma infinidade de combinações de matéria-energia, de todos os graus de densidade e complexidade. Cada uma dessas combinações ou graus de matéria-energia representa um nível particular da “Consciência-Energetica” em escala cósmica, presente em toda manifestação universal.

A tradição oriental fornece uma visão ordenada e simplificada deste fato, apresentando os diversos níveis de consciência presos em camadas (não confunda porém que essas camadas ficam uma sobre as outras como uma prateleira, não! Elas ficam uma dentro das outras, ocupam o mesmo espaço). Dessa forma, situa-se o plano mais denso (o físico-material-sólido) em um extremo da escala, caracterizado pela máxima diferenciação de formas, densidade e Ignorância (imersão da Consciência na Matéria) e, no outro extremo, o plano divino, o plano da unidade, caracterizado pela máxima sutilização da matéria-energia, indistinção de formas e máxima plenitude de Ser (emersão da Consciência na Matéria).

Do nível mais denso, diferenciado, para o mais sutil, temos:

- plano físico ou material:
O plano físico é este em que atualmente nos encontramos despertos e conscientes. É composto de três subdivisões físicas (sólidos, líquidos e gases) e quatro subdivisões etéricas (éter químico, éter vital, éter luminoso e éter refletor), mostradas em ordem decrescente de vibração:
1) éter refletor
2) éter luminoso
3) éter vital
4) éter químico
5) gases
6) líquidos
7) sólidos
Para estar consciente e atuar neste plano, o homem se reveste do chamado corpo físico que, na realidade, é composto de materiais retirados das sete subdivisões do plano. O corpo físico do homem fica, então, constituído de duas partes: o corpo grosseiro e o duplo etéreo.

- plano astral:
Comporta sete subdivisões análogas às do plano físico, mas as formas das subdivisões superiores deste plano têm um brilho e uma translucidez que lhes valeram o nome de astrais ou estreladas. Devemos compreender que os objetos astrais são combinações de matérias astrais assim como os objetos físicos são combinações de matéria física, e se assemelham em grande parte aos da terra, sendo formados pelos duplos astrais dos objetos físicos. O plano astral também é denominado plano dos desejos. Uma entidade astral pode modificar o seu aspecto completamente com a mais espantosa rapidez porque a matéria astral toma formas diversas a cada emissão de pensamentos. Pode-se fazer uma idéia do plano astral supondo-se que o ar tenha se tornado visível e que nos apareça animado de uma ondulação contínua com cores cambiantes. Essa atmosfera assim descrita responde continuamente às vibrações do pensamento, do sentimento e do desejo, mesmo as emitidas do plano físico, criando formas cuja duração depende da força mental de quem lhe deu nascimento, cuja perfeição de contornos depende da precisão do pensamento e cuja coloração varia com a qualidade do pensamento (intelectual, passional, devocional, etc.). São as formas de pensamento que vagam com ou sem direção e são atraídas ou repelidas de acordo com a vibração de cada um. O Plano Astral é habitado por diversas criaturas, objetos, egrégoras, seres e entidades que possuem uma complexa e intrincada estrutura de organização, a partir das quais explicasse todas as lendas, contos e bases de muitas religiões e filosofias espiritualistas. Há mais de 40.000 anos as tribos mais antigas de xamãs conseguiam entrar em contato com o Mundo Astral de diversas maneiras. Seus sacerdotes comunicavam-se com os espíritos dos antepassados em busca de conselhos e indicações enquanto dormiam ou durante rituais envolvendo ervas capazes de alterar o estado de consciência dos participantes no ritual. Os xamãs também eram capazes de entrar em contato com o Reino Espiritual através de oráculos e rituais de conjuração de seres que eles chamam de Elementais. As bruxas europeias também se utilizavam dessas técnicas. O plano astral tem um conceito chamado duplicata, cada objeto no mundo físico tem uma cópia, digamos assim, no mundo astral, por isso que em viagens astrais você pode visitar um lugar ou alguém mesmo estando em outra vibração do que a pessoa ou a existência do lugar.

- plano mental ou Manásico (das energias de pensamento ou mentais): Assim como os outros possui sete divisões, suas 4 subdivisões superiores correspondem as idéias abstratas e espirituais, e as 3 inferiores estão ligadas ao mundo concreto. É uma região onde suas próprias características constitutivas impedem a existência da infelicidade, sendo onde todos os pensamentos nobres e puros encontram sua frutificação em forma de bondade extrema e pura. É uma das vestimentas da Deidade e uma divisão de Sua própria vida, é a morada do Ego humano e de outras classes de seres como os devas da mitologia hindu, é o plano de registro de todos os pensamentos formulados por todos os seres pensantes, e nesse sentido é a memória viva e imperecível da Natureza, sendo possível a quem ali chegue após a morte, ou disponha da percepção necessária em vida, observar todo o curso da história mundial como se testemunhasse pessoalmente os eventos. É um mundo de cores e sons e luz onipresentes. Sua natureza fluídica responde imediatamente a quaisquer pensamentos formulados. A comunicação entre os seres se faz, assim, instantânea e sem possibilidade de equívoco ou dissimulação, pois cada pensamento assume uma forma própria que de pronto é percebida pelo interlocutor. Este plano é de certa maneira acessível também a todos os seres pensantes ainda encarnados, pois é ali que nasce todo o pensamento, embora somente aqueles que tiveram sua visão mental aberta possam recordar conscientemente e com clareza o que acontece no entorno. Os demais apenas captam ligeiros vislumbres sob forma de idéias ou fugazes lampejos de seu cenário glorioso. Um filme que faz uma analogia filosófica desse plano de existência é o filme Matrix.

- plano intuicional ou Búdico (das energias psíquicas ou de alma)

- plano espiritual ou Átmico (onde se manifestam as essências espirituais)

- plano monádico ou Anupadaka (onde se manifestam as mônadas, redutos últimos das individualidades espirituais)

- plano divino ou Adi ou ainda Atmico (Plano mais elevado e perfeito dos 7 planos)

Embora todos os fenômenos envolvam processos simultâneos nos diversos planos ou níveis de matéria-energia, cada plano pode ser visto como possuidor de um determinado conjunto de leis ou princípios de operação envolvendo em “seu espaço” todas as realidades energéticas desse plano. Tentando explicar em uma linguagem mais simples, é a mesma coisa que dizer que existem 7 planos físicos dimensionais sobrepostos, como “camadas” em uma imagem de photoshop, cada um mais sutil que o anterior. E quando se mexe em uma delas acaba afetando a imagem nas outras camadas. E o homem está imerso nestas sete dimensões. Diz-se, portanto, que o homem possui 7 corpos correspondentes aos respectivos planos de consciência/energia.

OS 7 CORPOS DO HOMEM

O homem reproduz em escala microscópica o universo com seus planos e subplanos, realizando através das transformações e processos de sua própria vida, uma réplica ou paródia de acontecimentos planetários e cósmicos, e em sincronismo com estes. O homem (ou Ego, ser pensante e consciente) possui 7 tipos de corpos. Esses são envoltórios que permitem ao homem atuar nas diferentes regiões do Universo. São veículos, instrumentos que o Ser utiliza para atuar nessas regiões e que, por isso, pode variar sua constituição sendo mais ou menos denso de acordo com o plano em que irá atuar. São eles:

1º – O Corpo Físico
Serve para nos manifestarmos no plano tridimensional, chamado comumente plano denso ou fisico, que é onde a matéria tem sua completa manifestação. É claro que este veículo adaptado para esta zona física não serve para nos manifestarmos em outros planos onde a matéria é mais sutil. Para estas dimensões necessitamos de um veículo apropriado, com as características indispensáveis e acondicionadas às leis que regem estas dimensões. Ele é o laboratório, através dele poderemos trabalhar e construir os demais corpos.

2º – Corpo Etérico ou Vital
No organismo humano existe um corpo bioeletromagnético. Este é o corpo vital ou assento vital, chamado também corpo etérico. É o assento da vida orgânica. Nenhum organismo poderia viver sem o corpo vital. Cada átomo do corpo vital penetra dentro de cada átomo do corpo físico para fazê-lo vibrar intensamente.
Ambos os corpos se penetram e compenetram sem, porém, confundir-se. Todos os fenômenos químico, fisiológicos e biológicos, todo fenômeno de percepção, todo processo metabólico toda ação das calorias, etc.; tem sua base no corpo vital. Este tem mais realidade que o corpo físico. Sabemos muito bem que a cada sete anos muda totalmente o físico devido a renovação constante das células.
Ao cabo deste tempo não fica um só átomo antigo no dito corpo. No entanto, o corpo vital não muda. Nele estão contidos todos os átomos da infância, adolescência juventude e ainda da idade adulta e velhice. O corpo físico pertence ao mundo de três dimensões, ao passo que o vital é um corpo da quarta dimensão durante os desdobramentos astrais, o acento vital aproveita para repor ao corpo físico as energias perdidas durante o dia. Quando o paciente dorme, o médico se tranquiliza porque sabe que despertará melhor. Esta recuperação é devida ao assento vital que está realizando seu trabalho. Na verdade, o corpo vital jamais abandona o físico, salvo no último instante da vida. O corpo vital está constituído por quatro éteres : a) éter químico , b) de vida , c) luminoso e d) refletor. Em determinado ponto do processo iniciático, o estudante aprende a liberar os éteres superiores para viajar com eles distante do corpo físico. Inquestionavelmente, as percepções claravidentes e clariaudientes se intensificam extraordinariamente quando observemos em nosso corpo os dois éteres. Tais éteres permitem ao estudante trazer a seu cérebro físico a totalidade das recordações supra-sensíveis.

3º – Corpo Astral ou Corpo de Desejos:
Este veículo é um corpo mais sutil que o etérico e nele tem sua vivenda os sentimentos e as emoções. Nas horas de vigília, envolve completamente o corpo denso, tendo a aparência de um ovóide luminoso; quando projetado para fora do corpo físico, assume a mesma forma deste. Durante o sono normalmente abandonamos temporariamente a parte densa do corpo físico utilizando-nos do corpo astral como veículo. Porém o homem comum e corrente não é consciente do que lhe sucede no mundo astral enquanto dorme em seu corpo físico. Muitas vezes recorda-se parcialmente e dirá que sonhou.
O Homem que deixa o corpo físico pelo exercício de sua própria vontade, o deixa com plena consciência e conhece por conseguinte tudo o que o rodeia no mundo astral. Então utiliza o corpo astral por veículo, como utiliza o corpo físico, tornando-se capaz de estudar os fenômenos do mundo astral tão claramente como quando em seu corpo de carne e osso estuda os fenômenos do mundo físico. Diz-se que o homem está desperto no mundo astral quando é capaz de valer-se de seu corpo astral como veículo operante de sua consciência, quando observa e discerne os fenômenos astrais como qualquer um de nós pode observar e discernir os fenômenos do mundo físico.
Neste corpo existe certo número de centros sensoriais que na maioria das pessoas se encontra em estado latente. Na grande maioria das pessoas estes chacras são simples redemoinhos e não tem qualquer atividade como meio de percepção. Todavia, é possível despertá-los em todas as pessoas mas, conforme forem os métodos utilizados, assim serão os resultados. Na clarividente involuntário, desenvolvido no sentido negativo e impróprio, estes vórtices de energia giram na direção oposta a dos ponteiros do relógio. No corpo de desejos de um clarividente voluntário, devidamente desenvolvido, giram na mesma direção dos ponteiros do relógio. Esta é uma das diferenças fundamentais entre um médium e um clarividente devidamente desenvolvidos. Diferenças que trazem implicações sérias do ponto de vista evolutivo do ser humano.
No ser humano comum e corrente, o corpo de desejos e quase que completamente desorganizado, sombrio e de natureza lunar, impossibilitando o indivíduo de usufruir de uma série de experiências conscientes. Num ser completamente desenvolvido, este corpo é de natureza solar, eletrônica, tendo sido elaborado de forma consciente, através de grandes esforços. Tal corpo lhe possibilitara experiências transcendentais como a saída consciente em corpo astral ou viagem astral.

4º – Corpo Mental:
Aqueles que supõe que a mente é o cérebro estão totalmente equivocados. A mente é energética, pode independizar-se da matéria densa, pois é um corpo aparte, constituído de matéria mental. A mente elabora os pensamentos que se expressam por meio de cérebro. Pensamentos, mente e cérebro são três coisas totalmente distintas. Temos que aprender a dominar a mente, submetendo-a à vontade do ser.
A razão divide a mente entre o batalhar das antíteses; os conceitos antitéticos convertem a mente num campo de batalha. O processo de racionabilidade extremada rompe as delicadas membranas do corpo mental. O pensamento deve fluir silencioso sereno e integralmente, sem o batalhar das antíteses.
O corpo mental pode viajar através do tempo e do espaço, independentemente do cérebro físico. Neste determinado processo do estudo esotérico, o discípulo aprende a se desdobrar em corpo astral. Já em corpo astral, aprende a abandonar este corpo e a ficar no corpo mental. O corpo mental da raça humana encontra-se até agora na aurora de sua evolução, estando quase que completamente desorganizado (corpo mental lunar).

5º – Corpo Causal ou da Vontade
O corpo causal vem a ser o veículo da alma humana. No ser humano comum e corrente, este corpo ainda não está formado, tendo encarnado dentro de si mesmo apenas uma fração da alma humana. Tal fração é denominada essência e no zen budismo japonês “Budhata”.
Podemos e devemos estabelecer diferença entre o seu corpo da vontade de seres humanos comuns e correntes, do tipo lunar e o corpo da vontade consciente de um mestre. O legítimo corpo da vontade permite ao adepto realizar ações nascidas da vontade consciente e determinar circunstâncias.
Normalmente, pensamos que temos força de vontade, para realizar tal ou qual coisa ou projeto porém, na verdade, o que temos é desejo concentrado e, de acordo com este desejo, efetuamos sacrifícios afim de lograr, triunfar.

6º – Corpo Búdico ou da Consciência:
Também chamado de ” Budhi ” ou Alma Divina. É um corpo totalmente radiante que todo ser humano possui, porém, ao qual ainda não está intimamente ligado.

7º – Corpo Átmico ou Íntimo:
Chamado também de o Deus interno, o real ser, o íntimo de cada um. Atman, em si mesmo é o ser inefável, o que está além do tempo e da eternidade. Não morre e nem se reencarna, é absolutamente perfeito. Atman se desdobra na alma espiritual, esta se desdobrando na alma humana, a alma humana se desdobra na essência e essa essência se encarna em seus quatro veículos ( corpo físico, etérico, astral e mental ), se veste com eles. Devemos trabalhar intensamente para construir ou nos ligar aos corpos existenciais do Ser, para podermos ir despertando e vivendo nestas dimensões superiores.

Próximo post eu vou escrever um pouco sobre os chakras e como ativar e equilibrá-los.
Postar um comentário