terça-feira, 18 de outubro de 2011

Para quem quer ser wiccan

1. Meditar muito sobre quem você é, o que busca nesta vida e o que você realmente busca em uma religião.

2. Aprender a respeitar e a conhecer melhor a natureza e o ciclo da mesma em você, isso é fundamental.

3. Respeitar qualquer forma de vida, e isso vale para aquela formiguinha que teima em entrar no seu açucareiro, até aquela pessoa chata que pisou no seu pé hoje de manhã.

4. Aceitar que existem diferenças entre os seres humanos, e que ninguém é obrigado a pensar ou acreditar nas mesmas coisas que você.

5. Estudar, estudar e estudar... Aceitar, ou se não for possível, pelo menos reconhecer que cada pessoa possui uma religião ou acredita em algo, e aceitar que essa religião pode não ser a mesma que a sua, e que isso não é melhor nem pior, e nunca tentar impor sua crença a alguém.

6. Ter prática. De que adianta acreditar no poder da lua, se você nem consegue senti-la? De que adianta querer ser um bruxo(a) e dizer que ama a natureza, se você sai atirando lixo pela janela do carro? Você consegue prestar atenção no seu próprio corpo?

De outro lado, de que adianta sentir a energia telúrica ou a abertura de seu chacra cardíaco, se você não sabe o que é isso e nem como aproveitar de maneira benéfica esse momento? Por isso a importância do conhecimento teórico e da prática. Um necessita do outro para se tornar completo e verdadeiramente aproveitável.

Eu acredito na iniciação que instrui verdadeiramente seu neófito. Mas acredito que a iniciação, HOJE, para os homens, acabou se tornando uma questão de "status", algo a que precisamos ter, a qualquer custo. O porquê e o resultado da iniciação acabaram-se perdendo. A iniciação não tem mais seu real significado.

E hoje, nós, seres humanos queremos nos iniciar em algo ou em alguma coisa, porque é importante mostrarmos para quem duvidar de nós, nosso "diploma de bruxo" ou ainda o "certificado de magista pleno"; como se um verdadeiro mago, bruxo ou xamã precisasse comprovar algo a alguém.

E assim, cada vez mais, vamos deixando para lá o verdadeiro significado das palavras "iniciado e iniciação".

Não buscamos mais o aprendizado puro e contínuo, não buscamos pelas verdades da religião na qual estamos nos iniciando... e a propósito, deixe-me perguntar-lhe: você realmente se identifica com sua religião, a ponto de se iniciar nela? Realmente concorda com tudo o que ela apóia? E o mais importante, você VIVENCIA A SUA RELIGÃO no dia-a-dia e não somente no templo, igreja ou coven?

Muitas vezes não vivenciamos nenhum conceito que a religião apóia. Aquilo é, para nós, algo distante ou impossível de ser realizado em nosso dia-a-dia.

Quer um exemplo bobo, mas preciso? Passamos por um viaduto e vemos uma pessoa passando fome e frio, e o que fazemos? Ficamos com dó, mas seguimos nosso caminho. Onde está a caridade, a ação, o auxílio ao próximo que a sua religião tanto apóia?

Dizemos "acreditar" em conceitos que nunca fazemos!

E como se tudo isso não bastasse, nem sequer procuramos saber os significados esotéricos e exotéricos da iniciação à qual iremos nos submeter.

A verdadeira iniciação antiga está além do que muitos imaginam que seja uma iniciação.

Antes de qualquer coisa, a verdadeira iniciação tem que acontecer DENTRO DE VOCÊ, e isso envolve muito mais do que acender velas coloridas e pedir auxílio a deuses de panteões diferentes. Aqui, o que realmente conta é a sua intenção, o que realmente pratica em seu dia-a-dia.

De que adianta ser iniciado em alguma religião, se seus atos são totalmente mesquinhos e indignos? Ou se você está muito mais preocupado com seu ego do que com sua evolução?

Não existe ninguém neste mundo melhor do que você mesmo para criar sua própria iniciação, A VERDADEIRA INICIAÇÃO, dentro de você mesmo.

Porque ninguém lhe conhece melhor do que você mesmo. Então, pergunto a você: sua iniciação interior ainda não começou?

Se a sua resposta for negativa, você vai precisar de bem mais do que um ano e um dia.

** Um ano e um dia: Prazo definido por um ramo da bruxaria moderna, conhecida como Wicca, para que o adepto se prepare, antes de pedir sua iniciação, ou faça sua auto-iniciação.

 Viviane Lopes

Postar um comentário