quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

DA NATUREZA DAS SACERDOTISAS

Simplesmente Recebemos…..Amamos……e Compartilhamos……..
Uma sacerdotisa  não se torna sacerdotisa  por meio de um ritual,
ela nasce sacerdotisa
Uma sacerdotisa não poder ser dominada, ela é um ser indomável
ela  é iluminada,  é a sombra e a luz escuridão e Terra, Céu Lua, estrelas, Mar, Rio e Sol
Uma sacerdotisa se desenvolve a partir do momento que nasce
seu nascimento envolve algo misterioso, pode ser o mistérios natural da vida ou uma tempestade durante o parto, uma luz diferente…
Uma sacerdotisa sempre encontra seu ” Circulo de Mulheres”
Acima de qualquer coisa uma sacerdotisa sempre será uma sacerdotisa
não importando a que religião ela venha ter, ou venha a assumir
pois jamais esta presa a dogmas, ela é uma mulher livre, jovem, mãe e sábia
Primavera , Verão, Outono e Inverno…Ciclica!
Uma sacerdotisa sente prazer em seu corpo de varias formas:
sexual, espiritual, emocional
Seu poder é uma coisa que se estende além dela
é uma coisa que não será domada ou explicada em poucas palavras
antes de qualquer coisa uma sacerdotisa sabe que é portadora do mistério
o mistérios de suas antepassadas,mesmo que não as tenha conhecido
porque toda sacerdotisa é a mesma que fora queimada no passado
A sacerdotisa é um canal com outros mundos,
Ela é a raiz da essência feminina
Mas antes de qualquer ritual a sacerdotisa reverencia a si mesma e a seu corpo
ela sabe que é o mistério oculto, que da passagem a todos os mistérios
A sacerdotisa sabe que seu corpo é sagrado:porque seu corpo é a Terra
Quando tem qualquer mínima noção do que é a Deusa,
Por menos a noção que tenha ela dedica a sua vida e sua busca pra compreende-la
Até o momento em que ela compreende algo muito mais fácil do que compreender a Deusa…Ela compreende que só deve sentir e permitir que a Deusa atue em seu mundo.
Na Cirandda da Lua, trilhamos um belo trabalho com a Cura da Alma Feminina!
Minha Jornada com Círculos de Mulheres…Se tocar seu coração…Leia…

Minha jornada com Círculos de Mulheres teve inicio muito cedo. Ainda menina nas cirandas de roda, girávamos e cantávamos, celebrando a vida através dos passos cantados. Fui crescendo e percebi que nós, meninas, viramos meninas moças, borboletas, fadas  e continuamos em roda para falar dos primeiros amores, dos medos, das alegrias. Então, notei que as mulheres de minha família e também de outras famílias fazem parte de um grande “Circulo de Mulheres” que acolhe, conforta, aquece e transforma!
Cresci de tamanho e responsabilidade… Descobri-me “educadora”, com curso e tudo mais… E aos 20 anos nasceu meu lindo Filho o Jô, fruto de um lindo e apaixonante amor, me dividi em todos os papéis e faces da deusa: Mãe, Donzela, Sábia, Amante, Menina… A maternidade, uma face nata que amo demais, despertou algo inconsciente que desabrochou a cada dia: o desejo em “Gestar Círculos de Mulheres”, ainda não tinha idéia e nem sei se tenho hoje de onde poderia chegar, mas sei que algo me alimentava, nutria… Fui aprender um bocadinho na área de artes, de pedagogia, dança, fiz pós-graduação em psicopedagogia, arte terapia…
Trabalhei em banco pra pagar os estudos e dei aula em colégios maravilhosos, onde as crianças, amigos queridos, me ensinavam todos os dias novas brincadeiras, a como sonhar, rir, encantar…
Já ia me esquecendo, quando o Jô, meu lindo filho estava com 2 anos me separei, mas não foi triste não, só não sabia muito o que fazer, mas sempre acreditei que tudo tem sua hora certa…
Algum tempinho depois, decidi que queria ter mais um filho, e ai, veio a Juju, minha linda rainha dos sonhos, fruto de um novo momento, um pouco diferente, segundo minha terapeuta a Divina Ana Lúcia … Um casamento de resgate de vida, só isso…
Quando Juju estava com 3 anos, me separei, e  tive o prazer de  iniciar uma nova jornada na Coordenação de  uma Escola de Educação Infantil, a Século XXI,com meu ex marido,  que durou  9 anos.
Neste “Jardim” decidi retomar minha jornada com círculos, inicialmente pude observar que as meninas sempre estão em roda e os meninos correndo, jogando bola… Não que as meninas não joguem bola e não corram, mas sinto que a necessidade da mulher de formar círculos é inerente à sua vontade.
Também realizei projetos, tais como: “Escola do Saber; Circulo Filosófico”, entre outros, com diversos grupos com os mais diferentes temas, onde por mais que eu abrisse a possibilidade da participação dos homens, meu maior público sempre foi o feminino.
Percebia que algo florescia, despertava, tomava forma… Uma saudade, um desejo… Algo estava nascendo, ou renascendo… Busquei mais embasamento, foram focos específicos… Lendo sobre muitos temas que envolvem o Universo Feminino, a religião da Terra, a Mitologia… Muita inspiração… Encontrei em Jean Shinoda Bolen, Milionésimo Circulo, em Clarissa Pinkola Estes e outras mulheres DIVINAS um néctar que me nutriu profundamente… E ainda, descobri o rico universo das Danças Circulares Sagradas, da Dançaterapia, e da Biodança… Esta alquimia de sabedoria,  naquele instante , deu  sentido a tudo que buscava!EU DESEJAVA me dedicar a honrar a sacralidade do feminino!
Com este rico manancial de sabedoria ancestral, unida a sabedoria contemporânea e minha jornada pessoal, em 2003, ainda na Escola Século XXI, organizei dois círculos de mulheres, o tema: “ O Divino Feminino”!
Em 2006, acreditando na bela sincronicidade que a vida nos proporciona, continuei na coordenação da Século XXI e dei inicio a uma nova jornada em outros espaços físicos, até que acabei criando coragem e loquei um Espaço para Cirandda da Lua, inicialmente dividindo  uma sala  dentro de uma clínica de psicologia, onde tive a oportunidade de aprender com mais uma destas mulheres-meninas que tem sonhos como Eu, a Patricia Fox… Foi uma parceria breve, mais rica… Patricia já realiza um trabalho com o feminino na Hera Mágica a um bom tempo e sei que de alguma forma cada uma de nós pode contribuir com o crescimento da outra… Depois, cada uma de nós seguiu a sua trilha da heroína e fiquei neste mesmo espaço físico… Em janeiro de  2009 tive a oportunidade de assumir este espaço e novamente seguindo meu coração…Encarei o amoroso desafio….
O Circulo da Vida sempre gira e hoje, inspirada nesta experiência de vida e com profunda dedicação, embasamento teórico, sou facilitadora de “Círculos de Mulheres” destinados ao Resgate do Sagrado Feminino. Gosto do nome “Guardiã de Círculos de Mulheres”, pois acabamos guardando , preservando, alimentando os círculos para que eles possam criar forma, girar…
O Circulo de Sacerdotisas teve inicio em setembro de 2007, fruto do curso Divina Afrodite, que durante sua “gestação” teceu-se verdadeiramente um espírito de clã, inspirado pelo sagrado, pela responsabilidade, pelos nítidos laços de amor, amizade e cumplicidade que nos unem, amparam e protegem! Mas não posso esquecer, também tiveram muitas sombras, muitas jonadas de  Perséfone…ou seria Inanna…Luz e sombra…Primavera, Verão, Outono e Inverno…Nova, Crescente, Cheia e Minguante…
A minha “ história” com Afrodite também é muito especial….mas hoje já escrevi DEMAIS! Nem sei se você conseguiu chegar até aqui…. Só sei que a dança do Circulo me cura.
Ao longo destes anos de caminhada, muitas mulheres vêm participando dos Círculos da Cirandda da Lua, vivenciam muitas e visíveis transformações, verdadeiras metamorfoses.
Meu maior sonho…
Desejo que mais mulheres busquem a si mesmas e a sua essência, resgatando a luz e a sombra desta autodescoberta.
Sou a Soraya Yayá….Filha de Dona Benê e seu Ivo;  neta de Vó Linda Zica, Vô Ovidio, Vô Angelina e Vô Zequinha! Mãe de Juju e Jô e Deusa…Amante de Priba….Amiga de muitas deusas e deuses…de meninos e meninas…mas hoje minha gratidão Especial vai pra Luciene ( In memória) querida amiga de 9 anos no Século XXI, a todos os pais e crianças deste lindo projeto, a Val Ciranddete, Mil Epítetos, sem Ela não daria pra tecer a Theia da Vida, o Templo de Afrodite…a Equipe de Apoio….a tecelã, amiga querida  Cris, Larson…..e todos os amados e amadas Ciranddeiros…..As Sacerdotisas de Afrodite meu respeito e reverencia!
Hooooooooo!!!!!!!!

Bençãos de Afrodite!
Soraya Yayá!
Postar um comentário