quinta-feira, 9 de junho de 2011

INICIANTES NA MAGIA

Uma Síntese da Magia e Wicca
Tradição Pagã
Síntese da Bruxa
Wicca é uma religião baseada na natureza, um desdobramento moderno das tradições pagãs pré-cristãs da Europa.
Existe um Deus e a Deusa, embora não haja Bíblia e nenhuma autoridade central que rege, a religião não reivindica nenhum dogma.
Porém, só se considera um wiccano se obedecer a Lei;
“Sem prejudicar ninguém, faça o que quiser.”
WICCA às vezes chamado de feitiçaria, ou A Velha Religião, representa uma antiga religião de amor à vida e à natureza.
A Wicca é simplesmente uma das religiões mais irresistíveis do mundo, porque ela estimula o intelecto, promove uma maneira simples e prática de vida e, o mais importante, é emocionalmente gratificante.
Wicca celebra os sabás, que marcam as estações do ano.
A bruxa ou bruxo, no coven ou sozinho, usa magia e ervas para direcionar o tempo e a matéria, a fim de alcançar a satisfação psíquica e espiritual.
Bruxas não adoram o diabo!
Bruxaria existiu bem antes ao Cristianismo e não incorpora a crença no Diabo cristão.
Nos últimos 15 anos as crenças em feitiçaria têm evoluído na teoria e na prática.
Os estudos aprofundaram em astrologia, tarô e runas, ervas e pedras, e numerologia.
Reverenciar a natureza e o mundo em que vivemos é a maior prioridade na vida.
Os sábios em magia utilizam o mês lunar, os aspectos dos Esbats e Sabás com muito respeito.
A magia é unida a sabedoria, a visão do mundo moderno e resgates do antigo, a filosofia de vida e no caminho do amor incondicional.
Nossa inteligência nos dá uma responsabilidade única em relação a nosso meio ambiente, pois buscamos viver em harmonia com a Natureza, em cumprimento do equilíbrio ecológico dentro de um conceito evolucionário.
Reconhecendo que há mais de um caminho para a iluminação espiritual e que a Wicca é apenas um de muitos, não abordamos ninguém tentando converter para ser um bruxo e respeitamos todas as formas de religiões.
Em tempos pré-históricos, pessoas respeitavam as grandes forças da Natureza e comemoravam os ciclos das estações e da lua.
As divindades eram o sol, a lua e a própria Terra, as energias criativas do universo eram personificadas: os princípios feminino e masculino eram deusas e deuses.
Não existiam figuras semi-abstratas ou sobre-humanas.
Existiam mulheres e homens, a terra e o céu, plantas e animais, pedras e rochas, rios e mares…
Acreditava-se em espíritos da natureza, inteligências biológicas e muitas vezes poderosos e aliados aos humanos.
Aliados porque como eram respeitados atendiam chamados em rituais e trabalhos de magia.
Até hoje, os elementos da natureza, são vistos como Terra, Ar, Fogo, Água e Espírito, sendo formas científicas da matéria; sólido, líquido, gás e plasma unidos pelo espírito e simbolizados em magia pelo pentagrama.
Todos são necessários e devem estar em equilíbrio, pois são os alicerces da criação e da base da própria vida.
A Terra é a essência da fertilidade e da solidariedade, que alimenta, que liga e dá forma.
O Ar é a essência da inteligência.
O Fogo é a essência da força e da defesa, que anima e ativa.
A Água é a essência das emoções e da fecundidade fazendo coisas maleáveis e flexíveis.
As representações físicas destes elementos são simplesmente as suas formas brutas no mundo material.
De forma celestial, enviados por seres divinos veio uma hierarquia de espíritos chamados Elementais.
A tarefa foi a de governar os elementais dos quatro elementos.
Então os Gnomos vieram para governar a Terra, os Sílfos para controlar o Ar. As Salamandras para comandar o Fogo e as Ondinas para prevalecer sobre a Água.
Os elementos e elementais são atribuídos aos quatro pontos cardeais de um círculo sob os olhos vigilantes dos Guardiões, que estão próximos da fila na hierarquia do mundo espiritual.
Assim, a Terra e gnomos são atribuídos ao Norte, o Ar com os Sílfos para o Sul, o Fogo com as Salamandras ao Leste e a Água com as Ondinas para o Oeste.
Terra:
A Deusa da Lua, o planeta Marte, os signos do zodíaco de Touro, Virgem e Capricórnio, a estação do outono.
É o elemento da estabilidade, ordem e aterramento, da fertilidade e gravidez, nascimento e crescimento, do material e negócios, prosperidade e criatividade.
Como o elemento de onde viemos e para onde voltaremos, é o elemento da morte e renascimento, do começo e fins, e do silêncio.
Ar:
O Deus do Sol, o planeta Vênus, os signos do zodíaco de Gêmeos, Libra e Aquário,a estação da primavera.
É o elemento do intelecto, do estudo, de rever e aprender,e portanto, das ciências.
É o elemento da juventude, da criatividade, da espontaneidade, da comunicação e das viagens.
Fogo:
O Deus do Sol, o planeta Mercúrio, os signos do zodíaco de Áries, Leão e Sagitário, a estação do verão.
É o elemento da resistência, da força física, da força de vontade e da energia.
É o elemento da paixão, da coragem, da proteção, da purificação, da transformação, do caos e da destruição, da vida e saúde, do sexo.
Água:
A Deusa da Lua, o planeta Júpiter, os signos do zodíaco de Câncer, Escorpião e Peixes, a estação do inverno.
É o elemento da sabedoria, da clareza, do senso comum, da experiência vivida, da intuição, emoção, adivinhação e do relacionamento.
É o elemento da cura, dos aspectos de transformação e purificação, mas também representa a morte e o renascimento.
Espírito:
Espírito é o elemento de transcendência,da transformação, da mudança.
Está em todo lugar e em nenhum lugar.
Em todo tempo e em tempo nenhum.
É a força primordial que flui através de todos nós e todas as coisas.

Fonte: recebi por e-mail
Postar um comentário